Isolda, de Olga Roriz – Companhia Nacional de Bailado

by manuel margarido

É já no dia 12 e, por isso, isto não é um press-release, é um alerta às hostes. Valerá muito uma ida até ao Teatro Municipal de Almada (Sala Principal), para assistir ao programa, que se prolongará ao longo do dia (pelo que convirá obter informações de horários, lugares, etc.)

“A Companhia Nacional de Bailado recupera duas peças de bailado, ISOLDA de Olga Roriz e FAUNO de Vasco Wellenkamp, criadas para o Ballet Gulbenkian. A par destas obras, a CNB inclui também neste programa uma nova criação de Rui Lopes Graça, coreógrafo residente da companhia. O espectáculo termina com o bailado STROKES TROUGH THE TAIL da coreógrafa Marguerite Donlon, que estreia pela primeira vez na CNB. Com este programa, a Companhia Nacional de Bailado propõe uma viagem pela criação contemporânea europeia.”

Sobre ‘Isolda’, afirmou a coreógrafa: “Agarrei no tema da Isolda sem tragédia, mas de uma forma dramática no sentido teatral. Afinal, é a mulher quem reina no amor. A dramaticidade de Isolda foi encontrada por uma expressividade puramente física, não emocional. O movimento tanto é lento e suspenso como veloz, térreo e brusco. Os figurinos decoram o corpo, concedendo-lhe um ar tratado e criando uma atmosfera operática. Quero mostrar o progresso do cansaço através dos fatos pesados e pedi às bailarinas para não lutarem contra esse cansaço. Pretendi que sobressaísse a energia de cada uma delas e é aí que pudera acontecer a beleza deste trabalho. (…)”.

'Isolda', de Olga Roriz

'Isolda', de Olga Roriz

Advertisements