As Folhas Ardem

a poesia do mundo. o mundo da poesia. incêndios e queimadas.

Etiqueta: Dia de São Valentim

São Valentim, o grande embusteiro

Raios abrasem o dia de São Valentim! A começar pelo bispo que lhe deu o nome: desde 1969 nem a Igreja Católica o reconhece, à falta de provas credíveis da sua lenda ou mesmo da sua existência. Embirro, porque tenho o Santo António, caso precisasse de um santinho que, por decreto de calendário, me levasse o coração a bater mais estremecido. Que não é o caso, que o coração não precisa de datas, como as datas não têm coração, o meu Banco que o diga. Que do Valentim façam festarola anglo-saxónica a escorrer para o nosso torrão, a pingar para o negócio, é dupla injúria. Meu pobre e desancado coração, que batas ao sabor dos dias, sem hora marcada; meu bom coração constante, pulsa-me aos minutos certos da incerteza; meu coração comovido de taquicardíaca beleza, recorda-te da mais bonita quadra popular que já li, escrita em letras azuis num prato de cerâmica rasca, numa tasca da EN1.

Sino, Coração da aldeia

Coração, Sino da gente

Um a sentir quando bate

O outro a bater quando sente

Perceberás, Valentim, que és detalhe de calendário, cúpido cupido sem préstimo que não seja enlevar basbaques? Pois és.

 (fotografia:«St. Valentine's Legacy», via Deviantart, (D.R.)

(fotografia:«St. Valentine’s Legacy», via Deviantart, (D.R.)

Valentine’s Day – Tom Waits

Tom Waits, num programa de televisão desconhecido, em data desconhecida. Ah, mas a canção é Take Me Home, do One From the Heart, filme do meu coração. História tão banal, tão simples, rapaz ama rapariga, os dois descompassam, conhecem cada um um outro, ‘apaixonam-se’, hão-de voltar aonde os afectos mais fundos moravam. Frannie (Teri Garr) pede a Hank (Frederic Forrest) que pedirá a Frannie. Pedidos desencontrados que se encontram. A banda sonora de Tom Waits (acompanhado, na interpretação, por Crystal Gayle, que canta o tema) é pelo menos tão bela como o Do Fundo do Coração. E esta canção excepcional, com uma letra tão básica, uma melodia tão simples, é aquela que me lembra sem falhas a grandeza absurda da parvoíce que é o amor.

Escrito de madrugada. ‘Ainda’ é dia 14 de Fevereiro, data sem qualquer significado, mas que nunca esquecemos graças à tv, internet, jornalinho e publicidade.

take me home

you silly boy

put your arms around me

take me home

you silly boy

all the world’s not round without you


I’m so sorry that I broke your heart

please don’t leave my side

take me home

you silly boy

cause I’m still in love you

– Tom Waits