As Folhas Ardem

a poesia do mundo. o mundo da poesia. incêndios e queimadas.

Categoria: Fotografia

Fotografia do Dia (XX) – Os Robots Eróticos

O Courrier Internacional, na sua edição portuguesa de Dezembro, ostenta na capa esta notável fotografia. Bem mais notável que a compilação de artigos relativos ao tema, diga-se. Reza assim, também na capa: ‘Robôs quase humanos – os progressos da inteligência artificial aproximam-nos da ficção científica. E levantam problemas éticos‘. Uma modelo de retórica prudente, estes título e sub-título. O pessoal quer é pormenores. E lá estão, bem maquilhados de sociologia, psicologia comportamental, evolução tecnológica, etc. Em síntese: parece que a investigação, em robótica, está a desenvolver aceleradamente  aplicações funcionais nos domínios da guerra e do sexo. Necessidades básicas, portanto. O mercado manda.

'Abraça-me. Tenho frio!'

'Abraça-me. Tenho frio!'

Fotografia do Dia (XIX) – Os Robots Dramáticos

É irónico. A palavra robot foi inventada por Karel Capek num texto para teatro, R.U.R. (Rossum’s Universal Robots) – título inglês da peça – escrito em 1920 e representado, pela primeira vez em 1921. O étimo adquire universalidade na literatura muito graças à (hoje reconhecida) extensa produção literária de Isaac Asimov dedicada ao tema (nomeadamente no célebre I Robot). Na era da electrónica, o robot materializa-se em larga escala na produção industrial, substituindo a ‘robótica’ o trabalho ‘humano’ nas fileiras de intensa componente tecnológica. Agora, em 2008, o robot volta… ao Teatro. Será capaz de uma gargalhada cénica? De uma lágrima furtiva, que comova o coração dos espectadores? Talvez. Duvido que consiga atingir as cambiantes da ironia.

(Nota: recuso-me, até ver, a escrever robô. Não alinho nesse complô).

Na fotografia, uma peça representada pelo primeiro teatro experimental do mundo a utilizar humanos e robots, na Universidade de Osaka, Japão. – Fonte: The First Post.

'to be, or not to be... humanoid'

'to be, or not to be... humanoid'

(clique para ampliar)

Fotografia do Dia (XVIII) – George W. Bush Home Alone

George W. Bush remains in place as various world leaders come back for a second group photo at the G20 Summit on Financial Markets and the World Economy at the National Building Museum in Washington. – no The Independent.

Não, não é o pathos do homem que se revela nesta fotografia. É o patético.

'tenho tantos amigos...'

'tenho tantos amigos...'

Fotografia do Dia (XVII) – U2 (Sunday Bloody Sunday)

Os U2 em 1983. Sunday Bloody Sunday. O fogo e a bruma. Uma canção que fez de mim um gajo melhor.

(Fotografia inédita, publicada no livro ‘U2: A Diary’ de Matt McGee, Omnibus Press. © Greg Wigler.)

'ganda fumarada, pessoal'

'ganda fumarada, pessoal'

Fotografia do Dia (XVI) – Estagflação

Stagflation is an economic situation in which inflation and economic stagnation occur simultaneously and remain unchecked for a period of time. The portmanteau “stagflation” is generally attributed to British politician Iain Macleod, who coined the term in a speech to Parliament in 1965. The concept is notable partly because, in postwar macroeconomic theory, inflation and recession were regarded as mutually exclusive, and also because stagflation has generally proven to be difficult and costly to eradicate once it gets started (Wiki Quote).
Fotografia captada em Rio Vista, Califórnia – a 8ª maior economia do mundo, se fosse um país soberano.

Construction work on a 750-home housing development in Rio Vista, California has been halted because the town is close to bankruptcy

Construction work on a 750-home housing development in Rio Vista, California has been halted because the town is close to bankruptcy

Fotografia do Dia (XV) – Julia Ormond

Pode não ter sido como Vanessa Redgrave, ou chegado à craveira de Helen Mirren (Dame), mas esta actriz inglesa tem uma carreira honesta em Hollywood. Suspeito, aliás, que tenha sido mais aproveitada pela beleza que pelo talento. Ora parva não é Julia Ormond. Wiki quote: “On 2 December 2005, Ormond was appointed as a United Nations Goodwill Ambassador by Executive Director Antonio Maria Costa. Her focus has been on anti human-trafficking initiatives, raising awareness about this modern form of slavery and promoting efforts to combat it. In her capacity as ambassador, Ormond has appeared as council to the United States House of Representatives, Committee on International Relations, Subcommittee on Africa, Global Human Rights and International Operations, and has travelled the world as an ambassador“. Pois. Mas este olhar pode atear um incêndio íntimo.

(Quiz: tropecei nesta fotografia através de pesquisa ao nome da actriz. Adivinhe-se qual o blogue português onde se encontrava…?)

'Ora então vamos lá levar isto com calma, meus senhores'

'Ora então vamos lá levar isto com calma, meus senhores'


Fotografia do Dia (XIV) – Kim Jong-il

Temos a triste memória de como os regimes totalitários que se formaram a partir da matriz marxista foram exímios a refazer a história, retocando fotografias. É célebre o desaparecimento de Trotsky numa foto, onde havia um antes, com ele, Lenine e Estaline, e um depois sem ele, Trotsky. A fotografia era a mesma, mas já era outra. Assim se revia a história. Era a ‘fotografia revisionista‘. Agora é a ‘fotografia ilusionista‘ que parece praticar-se na Coreia do Norte. Perante um anormalmente prolongada ausência de Kim Jong-il (o ‘Querido Líder’, filho do ‘Grande Líder’ Kim Il-sung), começaram a correr rumores sobre dois severos ataques (derrames) cerebrais, um em Agosto, outro em Outubro, de acordo com a AFP/Tóquio. Há mesmo quem especule que já tenha morrido. Certo é que as autoridades norte-coreanas sentiram a necessidade de divulgar um conjunto de fotografias onde ‘aparece’ o Querido. O exercício de detectar manipulações nestas imagens tem ocupado especialistas ocidentais, como pode ser apreciado numa galeria da Time. É o caso desta, onde tudo parece normal: porém, entre o Líder Querido e os dois militares ao seu lado, um muro baixo a que falta o rebordo, sugere um amoroso trabalho de photoshop (se utilizarem o programa, coisa de que duvido). O resto da galeria é motivo para uma minuciosa tentativa de encontrar incongruências. No país onde nada corre mal, que mal há em dar uns retoques na realidade?

'olhó passarinho...'

'Olhó passarinho...'

Fotografia do Dia (XIII) – DDiArte

Já trouxera aqui um trabalho desta dupla de fotógrafos madeirense (em ‘diálogo’ com um poema de Hugo Milhanas Machado). Mas a obra que produzem merece destaque particular. No jogo sempre ambíguo entre uma estratégia de produção pelo acto criador motivada, e a lógica da encomenda comercial, Diamantino Jesus (n. 1969) e José Diogo (n.1966) chegaram a uma linguagem própria marcante, com um domínio superior das diversas técnicas utilizadas e um equilibrado sentido da composição, tendo o corpo humano como tema. Uma resenha biográfica e crítica pode ser encontrada no site da Colecção Berardo, que adquiriu um importante conjunto de obras dos autores, que nele podem ser apreciadas. O colectivo DDiArte tem sido, nos anos mais recentes, premiado por diversas entidades e publicado em revistas internacionais de referência no domínio da fotografia.

Dançando com o azul © DDiArte

Dançando com o azul © DDiArte

Fotografia do Dia (XII) – Jerry Schatzberg

Em meados da década de sessenta, o fotógrafo e posteriormente realizador Jerry Schatzberg acompanhou Bob Dylan e ajudou a criar parte do seu mito iconográfico. Alguém é capaz de encontrar um adjectivo certeiro para aquele olhar?

'like a rolling stone...'

'like a rolling stone...'

Fotografia do Dia (XI) – Take a View

É conhecido o amor que os britânicos têm pelo landscape, pela paisagem entendida num sentido lato, identitário, onde se dá valor às pedras, aos muros, às colinas e à sua forma, ao cromatismo das estações, a ruínas a que chamam ‘castelos’, que estão lá porque ‘devem estar, sempre estiveram’. Bem sei da barbaridade urbana (e rural) que a Revolução Industrial introduziu na paisagem urbana – e mesmo rural – da Ilhas. Barbaridade humana, também. Com a ascensão das classes médias ao centro do tecido social, o que veio à tona foram afirmações de múltiplas formas de ser, de pensar, de se identificar. Mas, na teia complexa das sociedades ocidentais, os britânicos guardam um acrisolado afecto pela sua paisagem. É-lhes uma herança viva. No ano passado foi lançado o concurso de fotografia Take a View – Landscape Photographer of the Year, com categorias (bizarras), dirigido a fotógrafos amadores e com resultados por vezes admiráveis, que se podem ver no site do Take a View. Esta fotografia faz parte do lote das 15 melhores do concurso de 2008, que pode ser apreciado na galeria colocada online. Escolhia-a pela combinação de cor e luz, pelo equilíbrio compositivo, claro, mas sobretudo pela notável harmonia entre a velha árvore e os geradores eólicos em fundo (curioso: os geradores eólicos eram protagonistas da fotografia vencedora do ano passado). Tradição e modernidade. Mas o mais notável é a vedação. Havia vedações daquelas, em Portugal (onde, aliás, se pode fazer, e faz, excelente fotografia de paisagem, desde que se desvie a lente de sacos de plástico esvoaçantes ou de carcaças de automóveis tombadas onde calha). Havia vedações daquelas, repito. Alguma norma da UE deve ter dado cabo delas.

Morning glow, West Kilbride, Scotland © Peter Ribbeck Take a view

Morning glow, West Kilbride, Scotland © Peter Ribbeck Take a view

Fotografia do Dia (X) – A China e Hu Jia. Ainda.

Em homenagem, a Hu Jia, a metafórica imagem de como deve ser a vida, o estado de espírito, o ‘abismo’, de quem luta pelos Direitos Humanos na República Popular da China. A fotografia, repito, é uma metáfora. A realidade nem sequer convoca sinais de beleza.

(fotografia publicada no inevitável The First Post).

Shall I overcome?'

Shall I overcome?

Samat Hasan, walks a tightrope in Zhangjiajie, Hunan province, China

Fotografia do Dia (IX) – Oásis na China

O Oásis é, na tradição cultural e literária de várias civilizações, um sinal de esperança. Uma metáfora bíblica, corânica (demagógica, até, no caso dos governantes portugueses). No deserto dos Direitos Humanos vivido na República Popular da China – pelo menos pelos valores que, no Ocidente, consideramos válidos e universais – Hu Jia é um Oásis. Preso. No meio da inominável desolação.

(fotografia publicada no The First Post)

Oásis no deserto da Mongólia interior - China.

Oásis no deserto da Mongólia interior - China.

Oasis lake in the Badain Jaran Desert in north China’s Inner Mongolia Autonomous Region

Fotografia do Dia (VIII) – Silêncio

O que dizer perante a pluralidade de dramas inscritos nesta imagem? Uma mulher palestiniana dirige-se para a mesquita de Al Aqsa, em Jerusalém, para rezar, durante o Ramadão. Anacronicamente velada. Esplendorosamente velada. Quantos conflitos interiores e exteriores estão contidos nesta fotografia? O que dizer? Nada. Guardar silêncio. Como ela.

 © Bernat Armangue / AP

© Bernat Armangue / AP

Fotografia do Dia (VII) – William Claxton (1927-2008)

Aos 80 anos, morre William Claxton, notabilizado como fotógrafo de celebridades ligadas ao meio musical e, em particular, ao Jazz. Será um rótulo. Mas não deixa de ser admirável a invulgar capacidade técnica do artista colocada ao serviço de uma estilística solta, em movimento, improvisada. Jazzística, então. Logrou, ao longo da sua extensa carreira, composições de grande qualidade e rigor estéticos. Era, por isso, respeitado. No Guardian (edição online de hoje), prestam-lhe tributo, num belo artigo, a que se soma uma pequena galeria demonstrativa do seu trabalho). Mas é no site do fotógrafo que podemos ter uma ideia mais precisa(osa) da sua obra. Veja-se. É uma homenagem.

Chet Baker em Los Angeles, 1954 © William Claxton/AP

Chet Baker em Los Angeles, 1954 © William Claxton/AP

Fotografia do Dia (VI) – Fabio Bórquez

A história desta fotografia (e de muitas de Fabio Bórquez), é a história de um acto de censura, meticuloso, organizado e reiterado. O Flickr – serviço/comunidade de partilha de imagens do Yahoo – embirrou com o trabalho do fotógrafo argentino (por considerá-lo ‘inapropriado’). O que se seguiu foi uma trama absolutamente ‘kafkiana’, no requinte dos detalhes e nas peripécias do processo. Deliciosos são os argumentos esgrimidos para definir ‘inapropriado’. E  muito imaginativo o processo de ‘guerrilha’ que o fotógrafo encetou. Para quem ainda alimenta esperanças na Web como espaço de liberdade de expressão, basta ler o enredo, na edição digital do El País de hoje. Depois, claro, por maioria de razão, visitar o blogue de Fabio Bórquez.

'querido, estamos tramados, esqueci-me de ir à depilação!'

'querido, estamos tramados, esqueci-me de ir à depilação!'

Fotografia do Dia (V) – Colin Powell

É General. É Republicano. É Velho (ah, politicamente incorrecto, devia dizer Idoso). Mas é negro (perdão, afro-americano). Por isso, he knows the moves! (ah, politicamente incorrecto, ainda vão achar racista).

No inevitável The First Post.

'I like this way, Bro...'

'I like this way, Bro...'

Former US Secretary of State Colin Powell (centre) dances with Nigerian hip-hop artist Olu Maintain (left) at the Africa Rising Festival at London’s Royal Albert Hall

Fotografia do Dia (IV) – Arte de Rua e Graffiti

Barack Obama é o tema desta galeria de fotografias de graffiti e arte de rua, em cidades americanas (Nova Iorque, Boston). A cultura hip hop não esquece as suas raízes políticas.

New York isn’t the only city boasting Obama street art: this mural in Boston, Massachusetts, features a series of portraits which mix Obama’s face with Abraham Lincoln’s. Ron English’s work was commissioned by Gallery XIV

Fotografia do Dia (III) – Lance Armstrong

A ‘Vuelta‘, nome popular da Volta à Espanha em Bicicleta, foi este ano completamente ofuscada por duas palavras, por uma única manifestação de vontade: “Vou voltar”, disse Lance Armstrong. E de nada mais se falou, nem sequer da histórica proeza de Alberto Contador, o primeiro espanhol e o quinto ciclista da história a ter ganho as três grandes Voltas (França, Itália, Espanha), depois de Jacques Anquetil (1963), Felice Gimondi (1968), Eddy Merckx (1973) e Bernard Hinault in (1980). Não admira. O homem que venceu um cancro dado como incurável para ganhar 7 (sete) Tours de France, quando abre a boca é para se fazer ouvir. Outros tentaram voltar. Mark Spitz experimentou o regresso aos 41 anos, mas é muito difícil voltar ao lugar onde se foi feliz. Além de que, peço desculpa, mas ganhar sete medalhas olímpicas é histórico. Vencer sete ‘Grand Boucles‘ é do domínio da lenda. Uma lenda viva. A quem bastam duas palavras para parar a realidade.

Duas palavras? "Chove, caraças!"

Duas palavras? "Chove, caraças!"

Fotografia do Dia

No The First Post, edição de dia 8.

"Know thyself? If I knew myself I would run away" - Goethe

«John McCain waits backstage before the presidential debate with Democratic presidential candidate Senator Barack Obama»

Piotr Kowalik

Conheci o trabalho de Piotr Kowalik (n. Lublin, Polónia) na capa dupla da Periférica (nº 13, primavera de 2005), penúltima edição de uma revista de boa memória. A impressão que me causou foi tremenda, acentuada pela visita ao site do fotógrafo e por troca de imagens e impressões com amigos (actualmente os seus melhores trabalhos podem ser vistos noutros lugares). As séries The Cross We Choose to Bare (da qual faz parte esta magnífica ‘Pietà’) e Hope evocam no plano formal a pintura de Caravaggio e a sua intensa carga dramática, obtida por uma paleta cromática fulgurante, e por um jogo único entre o claro/escuro. Também no domínio da composição se entreviam pontes delicadas. Fiquei admirador. Hoje está bastante comprometido com trabalhos de ‘encomenda’. Em perda criativa. Ora uma coisa não teria de levar à outra.

The Cross We Choose to Bare - Release At Last My Love.

The Cross We Choose to Bare - Release At Last My Love.