Luís Miguel Nava — A Fome

by manuel margarido

 

Aqui, onde a mão não
alcança o interruptor da vida, aqui
só brilha a solidão.
Desfazem-se as lembranças contra os vidros.

 

Aqui, onde a brancura
dum lenço é a brancura do infortúnio,

 

aqui a solidão
não brilha, apenas
se estorce.
A fome fala através das feridas.

 

 

Luís Miguel Nava. Vulcão, Lisboa: Quetzal, 1994, p.17.

 

Francis Bacon (c.1970)