Herberto Helder — LEVANTO as mãos e o vento levanta-se nelas.

by manuel margarido

 

LEVANTO as mãos e o vento levanta-se nelas.

Rosas ascendem do coração trançado

das madeiras.

As caudas dos pavões como uma obra astronómica.

E o quarto alagado pelos espelhos

dentro. Ou um espaço cereal que se exalta.

Escondo a cara. A voz fica cheia de artérias.

E eu levanto as mãos defendendo a leveza do talento

contra o terror que o arrebata. Os olhos contra

as artes do fogo.

Defendendo a minha morte contra o êxtase das imagens.

 

Helder, Herberto, Ofício Cantante, Lisboa: Assírio & Alvim 2009

 

fotografia: «7_Troco de oliveira recolhido em Santa Bárbara de Nexe. Museu de Faro. 2005» — Duarte Belo

 

   Herberto Helder no site da DGLB

   Site do fotógrafo Duarte Belo

Advertisements