Pedro Tamen — Ensoneto

by manuel margarido

 

Entretanto, meu filho, é vinho tinto,

erosão persistida, abraço baço.

Lumes novos, quem é que os inventa

melhor do que o calor que nós nos damos?

 

 

 

Às uvas pois. O mais é uma cadeira

e o olhar do céu com chuva ou não,

enquanto as aves fogem e nós as imitamos

quase sem dor nem arte — só sentidos.

 

 

Assim sossega, assim verdeja e está,

eructa e vê, olhando à transparência,

um céu assim mais lento.

 

 

Só depois te levantas e contigo

vai certeza nenhuma, só viver

outra vez, amanhã, a vida mesma.

1971

Tamen, Pedro, Colóquio/Letras n.º 12, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, Março de 1973

«Raisin and grape - 2», Mordecai @ Mordecai, via Deviantart (D.R.)