José António Almeida — Artigo treze da Constituição

by manuel margarido

 

 

 

Artigo treze da Constituição

 

«Cem euros, ou levas uma facada»

— isto é Portugal em 2005

numa vila da província no sul:

o que principia na cama acaba

na sala do comandante do posto

da Guarda Nacional Republicana.

 

O que germina como crocitante

revoada de pássaros ao peito

do mais íntimo de corpos no coito

é relatado tintim por tintim

na sala do comandante do posto

da Guarda Nacional Republicana.

 

Isso que mais custava dizer ontem

desde que nasceu até agora:

«sou homossexual, não me envergonho»,

proclamas com serena gravidade

na sala do comandante do posto

da Guarda Nacional Republicana.

 

Confessar a própria sexualidade

— que ninguém a ninguém é obrigado,

os olhos fixos por vezes nas armas

da bandeira de Portugal ao fundo

na sala do comandante do posto

da Guarda Nacional Republicana.

 

Almeida, José António, in “RESUMO, a poesia em 2010″, Lisboa: Assírio & Alvim, 2011, p.77

[originalmente publicado em Obsessão Lisboa: & etc, 2010]