Golgona Anghel — Não me interessa o que dizem os dissidentes da ditadura.

by manuel margarido

 

 

Não me interessa o que dizem os dissidentes da ditadura.

Mas confesso que gostava de chocolates Toblerone

que a minha tia me trazia no Natal.

 

Não acredito nos detidos políticos,

nem me impressionam os miúdos descalços

que mostram os dentes para as máquinas Minolta

dos turistas italianos.

 

Não vou pedir asilo.

Desconheço os avanços ou retrocessos económicos do meu país.

Já falei de Drácula que chegue.

Já apanhei morangos na Andaluzia.

Já fui cigana, já fui puta. Escusam de mo perguntar outra vez.

 

O que me preocupa — e isso, sim, pode ser relevante

para o fim da história — é saber quando é que me transformei,

eu que era uma loba solitária,

neste caniche de apartamento que vos fala agora?

 

Anghel, Golgona, in “RESUMO, a poesia em 2010″, Lisboa: Assírio & Alvim, 2011, p.12

[originalmente publicado na revista criatura n.º 5]

 

«paperlungs and paperacid», bonny chen © bonny chen, via Deviantart (D.R.)

Links Relacionados:

 

Página de Golgona Anghel

revista criatura