As Folhas Ardem

a poesia do mundo. o mundo da poesia. incêndios e queimadas.

Correntes d’Escritas — «Sondagem As Folhas Ardem»: Vote na sua obra preferida.

© Câmara Municipal da Póvoa do Varzim (D.R.)

O Prémio Literário Casino da Póvoa, este ano atribuído à poesia, será anunciado dia 23 de Fevereiro, no âmbito do evento Correntes d’Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica, notável e corajosa iniciativa da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, evento de crescente e muito assinalável importância na dinamização do conhecimento e do contacto entre os leitores, os autores, as obras. Justíssima a lista pré-seleccionada, sendo o prémio atribuído por um júri respeitável: Almeida Faria, Carlos Vaz Marques, Fernando Pinto do Amaral, Patrícia Reis e valter hugo mãe.

Como é referido na página das Correntes d’Escritas, «Esta selecção resultou de cerca de 150 obras concorrentes de autores de língua portuguesa, castelhana e hispânica, com obras em português, editadas em Portugal (1ª Edição) entre Julho de 2008 e Junho de 2010. Ficaram excluídas as Obras Póstumas, Obras Completas e Compilações e Obras de Literatura Infanto-Juvenil. Também não foram admitidas a concurso obras de autores que tenham sido galardoados com o Prémio Literário Casino da Póvoa nos últimos seis anos. Recorde-se que este Prémio tem um valor de 20 mil euros e este ano distingue poesia. (…) A 22 de Fevereiro, dia anterior ao arranque da 12ª edição do Correntes d’Escritas, o júri reúne pela última vez para decidir qual o vencedor do prémio, decisão que será anunciada no dia 23, na sessão pública de abertura do Encontro. O prémio é entregue no dia 26, na sessão de encerramento.»

*

Lamentavelmente não fazemos todos parte do júri. Por isso, decidiu por unanimidade o conselho de administração deste blogue (1 voto a favor/0 contra), proporcionar a quem quiser a possibilidade de votar na sua obra preferida.

Algumas indicações e notas:

1 — Cada votante pode exprimir a sua preferência apenas uma vez e assinalar três (3) obras;

2 — O termo da votação expira no próprio dia 23 de Fevereiro, data em que o júri (oficial) anuncia o prémio (oficial);

3 — As obras estão alinhadas por ordem alfabética;

4 — Não há um prémio para os votantes; isto não é uma sondagem para acertar no vencedor;

5 — Pede-se a quem votar e/ou tomar conhecimento da iniciativa, que a divulgue. No final das contas,  dez ou vinte votantes já serão uma manifestação impressionante;

6 — O objectivo desta «sondagem» é apenas um: divulgar o evento e, de passagem, estimular o conhecimento das obras e do trabalho dos autores a concurso. Não tem apoio, incentivo, nem é do conhecimento oficial de entidades organizadoras, de qualquer instituição, editora, autor ou seja de quem for.

 

Dito isto, toca a votar nas obras de que gosta mais!

Correntes d’Escritas — Prémio Literário Casino da Póvoa

«Sondagem As Folhas Ardem»

Links relacionados:

Página do «Correntes d’Escritas» no site da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim

Helder Moura Pereira — Apagaram-se as luzes azuis da ambulância

 

Apagaram-se as luzes azuis da ambulância

e mais ficou na nossa imagem a cor do sangue.

No trajecto vi mais o teu ser do que à mesa,

na cama, no trabalho, o que vi deixou-me

descansado: humano, demasiado humano.

Tudo podia ter sido mais fácil, eis o que pode

dizer qualquer um, e mesmo que quase não

haja dinheiro para o táxi e te sintas à beira

do precipício, levanta a garganta e berra

para aí até já não haver quem te oiça.

Da missa metade não soube em tua história

e também não é preciso, todos nós já corremos

para um hospital e viemos de lá a cheirar

a doença e a morte. Por nós ou por outros,

nessa grande casa da tristeza e do alívio,

democracia total o acaso que dispara

e acerta ou não acerta em quem vai a passar.

Alguém te segura à beira da derrocada

e te pergunta saberás se lá no fundo há

algo que valha a pena? Pode ser que sim,

pode ser que não, ninguém sabe.

Pereira, Helder Moura, Se as coisas fossem o que são, Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. via → Blogue da Editora Assírio & Alvim

«hospital», Mademoiselle Wunderlich © Mademoiselle Wunderlich, via Deviantart (D.R.)

(clique para ampliar)