Mafalda Gomes – pris vis

by manuel margarido

 

 

pris vis

o meu amor cai

no vácuo
e eu vou com ele

namorados modernos, eu e o meu amor
afunilamos na medida cósmica do impossível

astros – eu amo
cair na primeira pessoa é mais perigoso do que escrevinhar no metro
a queda voluntária
do poema não compreende
se eu amar

a degeneração começou no primeiro
tropeço e foi uma questão de utilidade
aconchego, uma questão de piso

continuará mais tarde, vertigem
líquida e doida do porvir e faço saber que o verso não terminará jamais porque eu tenho vontade de dizer que um poema é um milagre, um sentimento dentro uma esfera de tinta azul, uma cona molhada, uma pedra que deus não levanta. se em verdade não vos falar, ide, pois, queixar-vos ao imperativo de vos falar verdades que não doam tanto

– tu não me queres

 

Mafalda Gomes, via o meu amor é glandular

 

«I Was Falling High», Martin Stranka © Martin Stranka, via Deviantart (D.R.)