Maria Teresa Horta – Infância

by manuel margarido


Infância


Convoco a memória do espaço da infância

para com ela entender o esquivo sofrimento

se em finitude me leva à inquieta beira

a prosseguir temendo à revelia do tempo


Não são os segredos mas o sinal sem norte

transportando consigo transbordante e breve

o desacerto que a vertigem liga ao abandono

seduzindo-me menina entregue à sua sorte


Foge o encanto e ainda mais amargo

na maçã o veneno dói e reclina

em desmesura unindo a fera e o afago


Desamado afecto na turvação que ensina

ao punhal, a empurrar a ponta do cuidado

cruel e indiferente à própria estima

Horta, Maria Teresa. Inquietude. Vila Nova de Famalicão: Edições Quasi. 2006.

© Alex, via Deviantart

Anúncios