Novos Poetas (54) – Catarina Nunes da Almeida

by manuel margarido

Ainda da cràse número um, o último e o que mais gosto dos três poemas que Catarina Nunes de Almeida publica na edição, de que já se anuncia o «lançamento» em Lisboa no dia 12 de Maio na Livraria Trama, pelas 19 horas.

3.

Colhe de um corpo

o carvão verde

a sua música cereal moída moída.

Abre um corpo na partitura canta-o

enquanto se parte enquanto ficam

anos por contar enquanto ficam

anjos nas pálpebras

inconfessáveis.

Como se a manhã falhasse sempre.

Como se escolhesses o comboio que pára

em todas as estações

e valesse a pena gastar outra infância

para não chegar.