A marijuana está mais ‘potente’

by manuel margarido

De acordo com a CNN, a monitorização que tem sido feita, desde há décadas, às características da marijuana que circula no ‘mercado’ revela que esta está 10% mais ‘potente’, valor que ameaça continuar a subir. O assunto parece ser preocupante porque, segundo parece, maiores concentrações do princípio activo (o conhecido THC) têm um efeito contrário à boa e velha ‘erva’: tornam as pessoas, em particular os adolescentes, potencialmente disfóricos, irritáveis e paranóicos.

Um tipo lê e pasma. Só quem não tem um contacto aberto com adolescentes é que ainda não se deu conta que, hoje, as variedades, as propriedades e os efeitos dos ‘charros’ e da ‘erva’ são muito mais fortes e alteradores da consciência dos consumidores. “No outro dia houve um que deu duas passas e quis atirar-se ao mar. A sorte dele é que estávamos a mais de 30 quilómetros da praia“, contam-me. Contam-me muitas histórias destas. De como o ‘pólen’ (haxixe com efeitos muito fortes) se está a transformar na droga da moda. De como há tipos com 16 anos a ficarem agarrados às ‘ganzas’ numa semana, como antigamente se ficava com a heroína, ou a coca. 10%? Os americanos alarmam-se.

Por cá o discurso oficial é outro. Como deixaram de se ver junkies nas ruas e assaltos generalizados feitos por drogados desesperados – os heroinómanos foram, em grande parte, enquadrados em programas de substituição por metadona – a ‘Droga’, o problema que enchia as páginas dos jornais nas décadas de oitenta e noventa, “deixou de ser um problema socialmente prioritário”. Este engano vai sair caro.

Basta passar um bocado à conversa com um grupo de adolescentes. Ou uma noite numa discoteca. Ou um final de tarde nas imediações de uma escola secundária.

Quando os responsáveis  voltarem a enfrentar o problema no terreno, vão ter uma ‘bad trip’. Dá uma grande moca, a realidade.

'Por acaso a planta é linda'

'Por acaso a planta é linda'

Anúncios