Canção de Embalar

by manuel margarido

(À Direcção-Geral de Contribuições e Impostos)

A Letra e a Música são de José Barata Moura, a partir de versões anónimas populares antigas (“Cai a noite, de mansinho,/ João Pestana vem  a caminho,/ Pra embalar o menino/ E dar-lhe um bom soninho”; ou “João Pestana vem  a caminho/ E traz o sono prò meu menino”). Leia-se, a propósito, o estudo de Carlos Nogueira, “Notas Sobre a Cantiga de Embalar“, que se pode descarregar no site da Casa da Leitura, Fundação Calouste Gulbenkian.

“Já lá vem
O João Pestana
Pé ante pé
Voz que  não engana

Vem de longe
Já muito cansado
Pobre João, coitado

Faz ó, ó,
Menino  também
Faz ó, ó,
Que o soninho já vem

Cai a noite
E o vento lá fora
Assobia forte
Não se vai embora

Conta histórias
Um nunca acabar
Coisas de encantar

E o vento
Não  sopra só
Também traz
Ao menino ó, ó

Devagar
Muito de mansinho
Levando o bébé
Ao pegar o soninho

Já lá vem
O João Pestana
Voz que não engana

E o João
Sabendo  o que faz
Vê o menino
Adormecer em Paz”

Child Asleep 2 © Louis Kahan, 1997

Child Asleep 2 © Louis Kahan, 1997

Advertisements