Novos Poetas (42) – Bruna Pereira

by manuel margarido

Alegro-me com a descoberta de um blogue, Poetas Portugueses do Século 21, para logo me entristecer com o seu (aparente) termo, em Dezembro de 2008. O trabalho dos seus criadores permitiu, ainda assim, juntar trabalhos de duas dezenas de autores, de diversa valia, quase todos muito novos. Por desfastio de uma inclinação para a ‘desconstrução egótica’ que muito se inscreve na actual produção poética, escolhe-se este poema (este enorme desejo de narrativa, formalizado em poema) de vincada face ‘neo-neo-realista’, versão actualíssima de um quadro que se julgaria passado e é tão de agora que até dói. A autora é Bruna Pereira (Ponte do Lima, 1983).

Lavara as mãos em sangue antes de jantar tremoços.

Era a educação dos limpos.

Dos Judas de espelho em casa e palito na boca.

Dos sem culpa numa vida de lavatório com germes.

Era fácil não querer saber dos outros.

Do gato, da mãe acamada, do filho sem papa e sem dentes ainda.

Do filho que dizia não ser seu enquanto se coçava e via o futebol.

– És uma puta! E tenho mais em que gastar o meu dinheiro.

E estava feita a oração antes da ceia.

E da varanda que é também sala de estar, subia o fumo da mulher do batom

[vermelho que aquecia a rua.

– Mas que caralho pensas que é isto?

E havia menos um prato inteiro que lavar.

Se a conta da água estivesse paga.

Se houvesse água em casa.

Choro, vidro, golo, menos outro prato, ralho, estalo, grito, copo voador, berro,

[copo partido no chão, tremoço,

vizinho apaga a luz, falta, casca de tremoço, murro, intervalo de jogo, outro

[vizinho finge que não está a ver

nada, resultado 2-1, pum, silêncio.

Sirene do INEM.

Quando alguém leva um tiro no meu bairro, aparece sempre a sirene do INEM

[apegada a uma ambulância amarela.

Depois volta a haver silêncio, fecha-se tudo em casa, os gatos esgueiram-se por

[entre os caixotes do lixo podre

que ninguém recolhe e a mulher do batom vermelho desaparece nuns mínimos

[que fogem de carro.

Eu vou lavar os dentes e tentar dormir.

Mas nem sempre consigo…

Bruna Pereira in → Poetas Portugueses do Século 21 (blogue)

Red pill Blue pill © Mário Leal, Olhares, Fotografia Online

Red pill Blue pill © Mário Leal, Olhares, Fotografia Online


Anúncios