Novos Poetas (40) – Liliana Jasmim

by manuel margarido

Aos 22 anos, com um livro de poesia já publicado (A Lua Está Acesa, Corpos Editora, Lisboa, 2008), Liliana Jasmim surge com uma poética portadora de alguma ingenuidade formal e de um universo referencial ainda estreito, visivelmente biográfico; mas é essa ingenuidade que, por vezes, joga a favor dos poemas, tão transparentes no seu desejo de narratividade, explosões emotivas com destinatário. A autora tem um blogue, O Silêncio dos Versos, essencialmente dedicado à poesia – onde se podem encontrar textos dela. O blogue, com uma estética evoluída (que é também feita das escolhas) é particularmente bom na qualidade da edição fotográfica.

Um ser corpo?


O corpo em declínio,

num desequilíbrio

sem tronco.


O corpo que apodrece

debaixo dos lençóis,

com a dor a romper

nas costuras de uma ferida.


O corpo projectado no vazio

quase,

oculto

anónimo

quadrado

perplexo

sem nexo

arqueado

queimado

vago


O corpo vacinado, amestrado.

O corpo enterrado nas mãos,

treinado para correr e não para sentir.

O corpo entupido pela rigidez.

Um corpo quase louco

pela insónia de afectos.

Um corpo que se quebra a ler Camus.

O Corpo atormentado pela poluição,

morto pelo grito dos pássaros à noite.

O corpo que finge orgasmos.

O corpo que se cala, quase em pranto.


O corpo,

numa casa aparentemente arrumada

onde sobra um braço dormente para compor as estantes.


Liliana Jasmin → O Silêncio dos Versos (blogue), 1 de Fevereiro de 2009

© Deyvis Malta, Olhares, Fotografia Online

© Deyvis Malta, Olhares, Fotografia Online

(clique para ampliar)