Vital Moreira ao P.E. A explicação.

by manuel margarido

Ao ser indicado como “cabeça-de-lista” do P.S às eleições para o Parlamento Europeu, Vital Moreira confessou-se surpreendido. Não sei porquê.

– O homem tem caução de esquerda, absolutamente conveniente nos dias que correm;

– É uma figura a caminho da aura de ‘senador’, fundamental para fazer pirraça a Manuel Alegre;

– É de Coimbra, como Manuel Alegre;

– É Constitucionalista (de resto brilhante), o que será de elevadíssimo préstimo no albergue espanhol de Estrasburgo;

– Tem muito mais currículo político que Miguel Portas, argumento absolutamente arrasador no momento político actual;

– É de estatura assim para o baixote, podendo desta forma tornar-se, num PE cheio de alemães, escandinavos e espanhóis de maior envergadura, símbolo da nossa idiossincrasia antropomórfica;

– Não é um ‘yes men’ E é um belíssimo parlamentar. No P.E. esse facto conta imensamente… nada.

– Finalmente, é um premonitório, um visionário, nestas coisas da Europa. Em 11 de Julho de 2005, escrevia estes augúrios sobre o referendo da Constituição Europeia, no blogue Causa Nossa. Viu-se.

«Nem tudo corre mal na Europa

Nem por ser esperada deixa de ser menos animadora a aprovação da Constituição europeia no referendo luxemburguês. Trata-se antes de mais de uma vitória pessoal do primeiro-ministro Juncker, que apostou o seu lugar no êxito do referendo. Em segundo lugar, trata-se de uma vitória dos que não se conformaram com o prematuro “enterro” do tratado constitucional por causa dos “chumbos” na França e na Holanda.
Neste momento o tratado já foi aprovado por uma maioria de Estados-membros. E quantos mais o fizerem, melhores condições terão para fazer valer a sua posição quando for do apuramento político que se fizer daqui a um ano sobre o que fazer da Constituição europeia. Nessa altura só terá voz e força quem tiver tomado posição…»

'785 deputados? Eu chego para eles todos!'

'785 deputados? Eu chego para eles todos!'