krímsjúka

by manuel margarido

Africans – Griep; Albanês – influencë; Búlgaro – грип; Checo – chřipka ; Dinamarquês – influenza; Esperanto – gripo ; Ilhas Faroé – krímsjúka; Galês – anwydwst; Zulu – imfluwenza. Sim, fui ao Webster’s num momento de desesperado masoquismo, comprazer-me com a universalidade e diversidade de nomes para a maleita que me atirou desde há uma semana ao tapete – leia-se, cama – com todas as misérias inerentes (fossem inerentes e não misérias e aposto que jamais me lembraria de encontrar os nomes das coisas): febrões de mudar a roupa a meio da noite, dores em ossos de que desconhecia e existência – e que provavelmente me desconheciam a mim – excreções, e outras condições que não deve o pudor para aqui chamar. Uma coisa é certa: sendo eu um daqueles tipos que não ganharam barriga quando fizeram 35 anos, tendo níveis de colesterol abaixo da média, suportando cargas de esforço continuado sem que o meu coraçãozinho desate a palpitar, todos os anos é isto: apanho uma gripe (pode ser reles) e tenho para dez dias. Fico aviado, inutilizado,  a quarenta graus, palavra de honra. Este ano, acrescidamente, enraivecido: pela primeira vez tomei voluntariamente a vacina. Foi o mesmo que nada “a vacina não apanha todas as estirpes e mutações virais”, avisara-me a farmacêutica, enquanto eu saía, impante do seu amável comércio. Pois. “Mesmo fumador (e se deixar de fumar), você tem tudo para chegar aos noventa e tal anos”, disse-me, o ano passado, o meu médico. Esqueceu-se do meu sistema imunitário. Não vivi , no início da década de oitenta, na cidade de São Francisco (apenas por acaso, diga-se); não sou gay (apenas por acaso, diga-se também). Mas lá que agora eu era um tipo célebre como tendo sido o primeiro seropositivo, disso não me restam dúvidas. Sou tipo mata-moscas. Apanho todas!

O título quer dizer ‘gripe’ na lindíssima língua que se fala nas Ilhas Faroé, a qual, por inépcia e desleixo, não domino. Dar um nome de bolo (ou de guloseima) a esta infernalidade invernil só mesmo para poetas. Ou tipos habituados ao frio.

'bora lá que o tipo é fraquinho'

'bora lá que o tipo é fraquinho'