Novos Poetas (XXIII) – Catarina Nunes de Almeida

by manuel margarido

A descoberta da poesia de Catarina Nunes de Almeida (1982), neste seu último livro, A Metamorfose das Plantas dos Pés, despertou muito forte atenção perante a maturidade e a força da poética da autora. Com um livro anteriormente publicado, Prefloração (que não li), Catarina Nunes de Almeida surge como uma voz singular e a ser seguida. De muito perto.

Abriu no colchão as valas possíveis

e enterrou por ordem alfabética

cada parte do corpo: os pêlos

os pântanos as unhas encravadas

e as unhas que outros cravaram pelas coxas.

Estudou cuidadosamente as ondas as horas

para que não restassem dúvidas

sobre os caminhos marítimos

para a noite. Por fim

podou todas as janelas do quarto;

bebeu o vinho;

roeu a carne do quarto

até não sobrar nenhum coração.


Catarina Nunes de Almeida
in ‘A Metamorfose das Plantas dos Pés‘, Porto, Deriva, 2008

'iluminarei a alma' © mariah, olhares, fotografia online

'iluminarei a alma' © Mariah, Olhares, fotografia online