A primeira rosa azul

by manuel margarido

Através de manipulação genética, utilizando uma tecnologia bastante complexa e inútil de descrever aqui (mas que pode ser percebida melhor acedendo a este artigo), investigadores australianos (de uma subsidiária da empresa japonesa Suntory), criaram a primeira rosa azul. A demanda da rosa azul é coisa que vem do século XIX e o prémio é um mercado de milhões, dada a poderosa simbologia associada à quimérica flor. Agora já não é uma utopia, após larguíssimos milhões de dólares de investimento. Pois bem, aqui apresento a ‘primeira rosa azul’. Azul? É uma questão de opinião. Seria mais correcto dizer: ‘a primeira rosa com pigmentos azuis’. Ou então calibrar o monitor até ficar satisfeito(a).

(Resta dizer que a rosa apresentada em fotografia no artigo que está em hiperlink neste post é, eu juro sem ter factos que o comprovem, de plástico.)

'Azul? Malva? Lilás? Tanto faz, desde que renda muitos K'

'Azul? Malva? Lilás? Tanto faz, desde que renda muitos K'