Novos poetas (XVI) – David Teles Pereira

by manuel margarido

Enquanto não trago aqui a ‘leitura’ do segundo número da criatura, deixo este recentíssimo poème à clef, estabelecendo um jogo pessoal e críptico com o título do livro novo de Herberto Helder, A Faca Não Corta o Fogo. Bravata geracional, sentido de desafio, de demarcação? Seja como for, nele encontramos formulações surpreendentes.

Eu oiço os anjos cantar uns para os outros,
os demónios gritar uns contra os outros.
Eu vejo a limpidez do poema ou a sua completa
aniquilação de estrela fracturada pela
metamorfose cósmica.
E tudo isso me parece tão naturalmente
aborrecido quanto ver uma criança
a ser carbonizada.
Eu sou um colóquio de assassinos e
os verdadeiros assassinos usam facas,
porque é melhor matar por partes.
O fogo não consome o meu fogo,
pelo menos enquanto ele se chamar faca.
E se a faca não corta o fogo…

chega para matar um incendiário.

David Teles Pereira, in blogue ‘O Melhor Amigo’ (http://omelhoramigo.blogspot.com/), Quinta-feira, Outubro 16, 2008


'fire' © Marco Negrinho, Olhares, Fotografia online

'fire' © Marcos Negrinho, Olhares, Fotografia online

Advertisements