Novos poetas (XV) – Hugo Milhanas Machado

by manuel margarido

Publicado na Índice (nº zero), um poema de Hugo Milhanas Machado (1984), que ultima a edição de Mas Que Hei-de, na colecção O Rio da Escrita, na Mariposa Azual.

A caminho da cama


Hoje que se deitou cedo se chovia

que maravilha estamos afinados.

Que se dormiu pouco que tanto fazia

vem por aí gente que se conhece e

juro que alguma palavra me aborrece

assim deitada junto das outras e

perguntam se estão bem se é aqui e

se não tem no texto mais ninguém

que não querem no texto mais ninguém

e o que na boca acontece

a minha e a tua bem de ver

que parece que andamos à turra

mas estamos apenas a caminho da cama

gostamos do engano desta trama minha

e dessa trauma tua se não me engana

agora que se se deitou cedo e chovia

e combinamos jantar mais logo

telefonas tu e telefono eu.

Salamanca, 29 de Abril de 2008

Hugo Milhanas Machado, in revista Índice nº 0, p. 49, Mariposa Azual, Lisboa, 2008

2 in motion III © DDiArte, olhares, Fotografia online

2 in motion III © DDiArte, Olhares, Fotografia online