The Great American Songbook (I) – Someone to Watch Over Me

by manuel margarido

A partir de hoje, dia 5 (na verdade já entrámos em 6), faltam 30 dias para a realização da eleições presidenciais nos E.U.A., que terão lugar a 4 de Novembro. A coisa em si nunca me comoveu muito (apesar de ter apreciado os mandatos Clinton). Democratas ou Republicanos nunca divergiram muito no melhor e no pior que a América deu a si mesma e ao mundo. Os tempos estão diferentes, porém. Aquilo que se poderia tomar como simples alternância de poder assume, porém e agora, um carácter fracturante (expressão tão na moda, tão politicamente correcta, que me arrependo já de a ter escrito). E a escolha de um dos lados pode significar (ou não) a travessia do Rubicão do século XXI. A mudança.

Tomo, pois, partido. E, enquanto roo as minhas muito brancas unhas, colocarei aqui diariamente, em  louvor e esperança pelo destino da nação americana, um tema musical do Great American Songbook que se poderia balizar, de forma simplista, como o conjunto de temas musicais populares ‘clássicos’ criados entre os anos 20 e os anos 60 do século passado. Entre o Tin Pan Alley de New Orleans, os musicais da Broadway, os grandes temas musicais do cinema, até à fulgurante irrupção da pop music na cultura popular.

Os temas clássicos, que deram origem à fixação de muitos dos melhores standards do Jazz e ainda hoje são referenciados (e reverenciados) pelo escol dos melhores intérpretes e conhecedores. A selecção de cada interpretação é necessariamente arbitrária. Minha, portanto. Fiquemos com a primeira. Que passem ligeiros estes 30 dias, onde todas as esperanças são possíveis.

*

Someone To Watch Over Me (1926), de George e Ira Gershwin, aqui na interpretação memorável de Ella Fitzgerald (mas com mais de uma centena de versões para todos os – bons – gostos).

Advertisements