Subconsciente monárquico

by manuel margarido

A situação não podia ser mais prosaica: sentado no sofá, lia o jornal enquanto ouvia as notícias, após o almoço. Ouvia, não via. E quem eu ouvia era, garanto, a voz de D. Duarte de Bragança, putativo herdeiro da coroa portuguesa (descontinuada). Contudo, atraído pelas palavras proferidas «Sabe, não me parece a ocasião oportuna para me pronunciar…» (citado de memória) levantei os olhos do jornal. Palavra de honra que era o Sr. Presidente da República que estava no ecrã. A voz, a voz de Cavaco Silva era, asseguro, de uma semelhança inquietante com a de Duarte Pio. No tom. No timbre. Na pausa. Na guturalidade. Devaneio imediato: terá a primeira figura da República um subconsciente monárquico?

onde estão os meus óculos?

onde estão os meus óculos?

Anúncios