As Certezas Difíceis (III)

by manuel margarido

Em declarações após o jogo contra esse ‘Golias’ que é a Dinamarca (36ª posição no ranking da FIFA), e após ter levado um banho de táctica (“arte de combater ou ordenar as tropas em posições e locais favoráveis”, diz o Priberam, e ajusta-se aos últimos 10 minutos da partida) Carlos Queiroz, o homem que treina a funda deste ‘David’ que é Portugal (9ª posição no ranking referido) declarou, sem um laivo de comoção: «Quem não marca é punido injustamente». Fez mal. Deveria ter-se dado conta do carácter histórico da frase. Acompanhando o futebol com a distância interessada que convém, sempre ouvi dizer que “quem não marca acaba por perder justamente”. Isto desde o tempo dos antigos, que me ensinaram a ‘ler’ futebol. Crédulo como sou, sempre encontrei mérito no axioma. Até chegar Queiroz, o Professor, e inverter uma noção lógica, dada como adquirida pelo tempo e pela experiência. De facto, o homem está vocacionado para as certezas difíceis.

Sol negro na Dinamarca. Estorninhos. © Bjarne Winkler

Sol negro na Dinamarca. Estorninhos. © Bjarne Winkler

Anúncios