Renúncias

by manuel margarido

No Público de Quinta-Feira, 4 de Setembro, caderno P2, coluna “Frases de ontem”, item “Escrito na pedra”: «Uma pessoa pode abdicar de sexo, mas o sexo não abdica da pessoa» – Gabriel García Márquez. Está certo (embora tenha dúvidas que o colombiano escrevesse uma frase destas na pedra). Parafraseando-o, talvez o Público pudesse também escrever numa lápide, colocada à porta das suas instalações: «Um jornal pode abdicar do lucro, mas o lucro não abdica do jornal».

Abdico do sexo, pronto. Mas nunca do meu jornal preferido!

Abdico de sexo, pronto. Mas nunca do meu jornal favorito! © Roy Lichtenstein

Anúncios