A XXX Olimpíada e as ruas de Londres

by manuel margarido

Começou hoje a XXX Olimpíada da “Era Moderna”. Daqui a quarto anos teremos incomensuravelmente mais perturbação nas ruas de Londres que a que eventualmente ocorreu em Pequim (eventualmente, sublinho, porque muita coisa deve ter sido silenciada à nascença ou simplesmente escondida). Protestos, statments públicos, marchas, concentrações, lutas de rua contra a polícia, riots de oportunidade, mesmo que folclóricos, ainda que etilizados. Muito mais causas que o Tibete e os Direitos Humanos terão a rua como palco e os media como objectivo. Visto a esta distância, é mais que provável que, em 2012, existam inúmeras causas globais à procura de um palco global. Resta saber quais. Em Londres, a ‘Rua’ como local de combate político escapa inexoravelmente à agenda da House of Commons. Marcello Caetano provou o seu amargo sabor, por exemplo. Mesmo que, em 1973, a questão colonial portuguesa estivesse longe de comover o mundo até à histeria.

A latere – não se resiste a um documento como este: a descrição da referida manifestação contra a Guerra Colonial e o regime anti-democrático português, que se organizou em Londres em 1973, justamente por ocasião da visita de Marcello Caetano (Primeiro-Ministro à época), publicada no Avante nº. 1368, de 17 de Fevereiro de 2000. A Aninhas da história carregaria hoje, bem vestida e encharcada, o retrato do Dalai Lama.

Londres, 2012. Uma visão olimpicamente futurista.

Londres, 2012. Uma visão olimpicamente futurista.

Anúncios